Terça, 28 Março 2017 18:18

Carta póstuma à Thomé de Souza

Escrito por

 

 

1000 Thomé de Souza

Caro Senhor Thomé;
Fostes um iluminado. Conseguiu antever o que seria esta Cidade no futuro e por isso realizou a sua fundação. Não foi apenas o poder do Rei de Portugal D. João III, que te escolheu para aquela missão. Houve também uma essência espiritual que já pairava por aqui clamando por desenvolvimento. Não foi apenas a sua visão estratégica que o fez iniciar as primeiras construções num local onde a topografia era irregular num cume de 64 metros acima do nível do mar, e que até hoje muitos contestam. Foram também as forças dos orixás que já eram exercidas nesta terra, que o fizeram ver que mais tarde seriam instalados ali, meios de transportes esquisitos que se chamariam; Elevador, Plano Inclinado e que ligariam as duas partes da sua Cidade. Dificuldades houve é claro, e foram muitas.

Mas o senhor resistiu, porque dentro do si já brotava o sentimento de baianidade que hoje tanto apregoamos, que já o fazia sentir o axé indecifrável, gerador da gigantesca energia que até hoje nos faz um povo diferente, alegre, festivo, místico e trabalhador. Já era o amor por uma Cidade do futuro que iria erguer-se sobre a lendária Soterópolis. Esta grande cidade do futuro, só existia até então na sua fértil imaginação. Seria isso mesmo senhor Thomé? ...Ou será que o senhor viajou no tempo e viu aquela tão sonhada Cidade 468 anos depois, com toda esta beleza, esplendor, magia e encantos? Deve ter sido isso: O senhor viajou no tempo sim.Veio até os tempos atuais e curtiu os prazeres desta Terra junto com o seu povo. Conheceu o nosso carnaval, brincou atrás do trio elétrico, desfez-se das suas pesadas roupas, vestiu um colorido calção e banhou-se nas águas do Farol da Barra, percorreu esta bela orla, sentiu nos pés o calor e maciez das areias de Itapoã, comeu o gostoso acarajé e outras delícias do tabuleiro da baiana. Pasmou-se diante do contraste arquitetônico moderno, e do histórico Pelourinho. Cantou e dançou ao som dos tambores dos blocos afros, delirou ouvindo a música feita aqui, e orgulhou-se de ver todo o Brasil render-se a ela. Participou de todas as festas populares, viu de perto a força da fé; da harmonia entre o povo e as autoridades no Cortejo da Lavagem do Bonfim. Conheceu e viveu as emoções do futebol no clássico Ba-Vi e a exemplar convivência pacífica entre as duas rivais torcidas. Certamente chegou às lágrimas diante das várias homenagens e comemorações anuais de aniversário da Cidade.

Depois de toda essa experiência vivida. Após esta viagem fantástica, o senhor retomou ao seu tempo com muito mais convicção, e entre firmezas e devaneios tocou a Cidade pra frente com tanta vontade que permaneceu aqui além do tempo estabelecido pelo Regimento Português e assim eternizou este 29 de março que a gente vai continuar comemorando orgulhosamente com muita alegria. Obrigado, senhor Thomé! O senhor é quem está de parabéns.
Sem mais, aceite o meu sincero abraço; Pois sei que lá de cima, estás muito feliz e vaidoso, por ter sido o grande fundador da Cidade mais bonita do mundo!

Max Matos, dizendo tudo.

"DIRETAS JÁ E FORA TEMER", são protestos de vingança, de inconformismo, de cunho isolado e pessoal. Precisamos de manifestações iguais ao do último domingo: "CONTRA A CORRUPÇÃO, CONTRA A REFORMA PREVIDENCIÁRIA E EM DEFESA DA LAVA JATO". O brasileiro ficou a vida inteira se queixando da corrupção. Veio Joaquim Barbosa e agora Sérgio Moro e estes mesmos brasileiros o condenam. É porque justiça, polícia e cadeia são apenas para os outros. Para os nossos, não.

O "Fora Temer e Diretas Já", atendem apenas a uma facção insatisfeita. O segundo, sim. Atende à todo anseio do povo brasileiro. O grande problema nosso, é o individualismo pessoal, o classismo e a própria defesa ideológica.
Divididos, o nosso futuro é o caos.
Temos que aprender a PARTILHAR também os interesses coletivos. Aliás, como pregou um certo "galileu" há mais de dois mil anos e que nós fingimos que aprendemos.

Max Matos, dizendo tudo.

Sábado, 25 Março 2017 10:55

O crime mata a Lei

Escrito por

 

 

531 O crime mata a lei

Republicação de novembro de 2011

Através dos filmes policiais americanos, conhecemos a história dos grandes grupos de gângsters que reinaram nas décadas de 20 e 30, onde o chefe maior e mais temido era o ítalo-americano Al Capone, assassino frio e sanguinário que tinha como negócio o contrabando e venda de bebidas, drogas e outras atividades ilegais, durante a rigorosa Lei Seca que vigorou nos... Estados Unidos neste período.
Os mafiosos, como eram chamados, operaram por muito tempo, pois contavam com apoios de autoridades além de manterem um atuante corpo de influentes advogados para defende-los, e assim espalhavam o medo e intranqüilidade à população.
Nós, cinéfilos do terceiro mundo, por mais que aficionados fôssemos pelo que víamos nas telas, ainda assim já achávamos absurdo, como num país de primeiro mundo, bandidos agíssem livremente com mão de ferro na defesa dos seus interesses sob as barbas da lei e do Estado. Faziam o que queriam; matavam seus desafetos aonde quer que eles se encontrassem, explodiam estabelecimentos comerciais dos proprietários que não aceitavam as regras impostas por eles e não aceitavam pagar uma fictícia taxa de "proteção".
531 Al Capone fichaO império criminoso intranqüilizava a população maculando a velha Chicago, com suas ruas sempre molhadas como era poeticamente retratada em "Os Intocáveis", série de TV, filmada em preto e branco, estrelada pelo ator Robert Stack no papel do agente federal "Eliot Ness", e que era exibida semanalmente nos anos 60.
Já na década de 70 e 80, a centenária organização criminosa "Cosa Nostra", ainda tinha muito poder na Itália, e assombraram o mundo perpetrando vários assassinatos de juízes, promotores e outras autoridades italianas. Até surgir a Operação "Mãos Limpas", um projeto de endurecimento das leis com penalidades severas, que impôs muitas baixas a organização criminosa, reduzindo em mais de 90 por cento o seu poder de fogo e de influência.
Seria justamente um projeto semelhante ao da Operação Mãos Limpas, que todos nós brasileiros gostaríamos que tivesse força e apoio para ser implantada aqui no Brasil, onde Lei é como moda; "ou pega, ou não pega", porque as leis aqui já nascem sob a égide do corporativismo político, que faz com que tudo aquilo que acontecia no passado nos EUA e na Itália, aconteça agora no Brasil, onde mais de 100 juízes estão na mira dos criminosos traficantes, policiais corruptos e milicianos, apenas por cumprirem os seus deveres.
Em agosto último, no programa Mais Você, da Rede Globo, a apresentadora Ana Maria Braga entrevistou o juiz carioca Alexandre Abrahão, da 1ª Vara Crime de Bangu-RJ, que após o assassinato da juíza Patrícia Acioli, passou a ser o próximo de uma pretensiosa lista de execuções que os bandidos ousadamente elaboraram.

Um outro juiz, o mato-grossense Odilon Oliveira, há 13 anos, é o mais protegido do país. E o mais incrível, é que ele dorme dentro do próprio Fórum. Sua "cabeça" vale, hum milhão de dólares, por ter condenado centenas de traficantes, inclusive os chefões, a penas pesadas, esvaziando os cofres de várias quadrilhas, com várias apreensões de imóveis, veículos, fazendas, aviões, embarcações, além de mais de 15 milhões em dinheiro. (fonte: wikipédia)
Vítima também de ameaças de morte, o deputado estadual do Rio de Janeiro Marcelo Freixo do PSOL (foto), que presidiu um inquérito parlamentar contra as milícias no Estado indiciando mais de 200 pessoas, foi forçado a fugir do país com ajuda da Anistia Internacional. A atuação de Freixo contra o crime inspirou um personagem do filme "Tropa de Elite 2", que trata da atuação das milícias no Rio de Janeiro.
O que nos deixa revoltados e descrentes com a justiça do nosso amado Brasil, é que tudo aquilo que um dia foi fato e hoje é apenas um passado amargo e de fracas lembranças nos EUA assim como na Itália, aqui é realidade. Essa vergonha é plena, acontece hoje e sem perspectiva de mudanças. Pois nos últimos anos, além da juíza Patrícia, mais três juízes foram também assassinados por bandidos poderosos declarados, ou camuflados com status de homem de bem.
Leopoldino Marques do Amaral - Mato Grosso 1999, Antonio José Machado Dias - Presidente Prudente-SP, e Alexandre Martins de Castro Filho - Vila Velha-ES, ambos em 2003, foram vítimas desta força danosa que impõe as suas próprias leis e regras enfrentando de cara o Estado e destruindo homens de bem que estudaram, se formaram para exercerem uma profissão e atuar na defesa de uma sociedade composta de famílias intranqüilas e sem confiança na justiça do seu país.
Ficam pelo menos duas perguntas no ar: Qual o estímulo que jovens cheios de vida e projetos, podem ter para enfrentar e seguir a carreira dos seus sonhos diante dessa desencantante realidade? E como compreender mesmo de forma cristã, que, enquanto nós cidadãos de bem, cumprimos as leis dos homens e as de Deus, o bandido se aproveita disso e impõe a lei dele que é justamente o contrário, contando com a "compreensão e benevolência demagógica" dos defensores dos chamados "Direitos Humanos", essa hipocrisia que a nossa inteligência não consegue alcançar e que levou um delegado de São Paulo, um representante da Lei, a fazer um desabafo de forma raivosa e estarrecedora.

Max Matos, dizendo tudo.

Terça, 21 Março 2017 11:08

Sete Palavras

Escrito por

 

 

 

Publicado no jornal A Tarde em 18.03.2017

 Sete Palavras

Sexta, 17 Março 2017 14:08

Um pensamento, duas intenções.

Escrito por

Nas manifestações a favor impeachment, estavam lá os seguidores e simpatizante da direita. Nas manifestações contra o impeachment, estavam lá, é claro, os seguidores e simpatizantes da esquerda.
Nas manifestações contra a Reforma da Previdência, simpatizantes e seguidores das duas ideologias estavam lá, juntinhos. Mas com uma grande diferença: Os da direita, indignados clamando pelo direito de conseguirem se aposentar.
Já os da esquerda tinham dois motivos que era também a luta pela aposentadoria, mas aproveitando e usando o movimento politicamente para soltar o grito de, "Fora Temer.
É que o PT ainda não se conformou com a perda legal do poder, e aproveitou esse momento, muito mais para dar vazão a sua revolta, e muito menos pelos prejuízos nos direitos previdenciários.

No final, ambos os lados saíram ganhando. A esquerda pongou na onda e engrossou o seu grito com a ajuda (mais sincera) da direita, ...e vice-versa.

Max Matos, dizendo tudo.

Quinta, 09 Março 2017 11:24

LÁGRIMAS DE UM REI

Escrito por

990 Edinho e Bruno(Publicado em junho de 2005 no jornal A Tarde, quando o filho Edinho foi preso pela primeira vez)

"É duro!...
O cidadão leva anos para construir uma imagem sólida e incontestável. Consegue ser o homem mais conhecido do planeta, ser respeitado, idolatrado, incomparado e referência para todo atleta que inicia a carreira. Eleva e dá mais visibilidade a sua raça e seus valores minimizando o preconceito endêmico, faz crescer a projeção do seu País, ganha inúmeros e merecidos prêmios, quebra todos os recordes em conquistas de títulos de campeão, afasta-se saudosamente da sua atividade mas continua em evidência sorrindo e fazendo sorrir.

Aí vem um filho que depois de adulto comete uma tremenda besteira e o faz chorar. Mas não um choro de alegria como a sua sensibilidade sempre o permitiu, mas sim, com lágrimas ardentes de uma tristeza que ele jamais imaginaria sentir.
Tenha certeza Pelé; que os verdadeiros 'homens de boa vontade' que a Bíblia Sagrada se refere são também inteligentes e não irão culpá-lo. Te entenderão, e estarão do seu lado, solidários e agradecidos por tudo aquilo que você lhes deu".


* Edinho foi condenado e preso, mas foi solto. Agora um juiz decretou a sua volta a prisão. O que não dá pra entender é o caso do goleiro Bruno que cometeu um assasinato com ocultação de cadáver e agora um juiz o liberta. Enquanto Edinho não assasinou ninguém, cometeu o crime de associação com o tráfico. É difícil entender a nossa justiça.

Max Matos, dizendo tudo.

Quarta, 08 Março 2017 14:40

MUQUIRANAS! ALEGRIA, BELEZA E TAMBÉM MOLEQUEIRA

Escrito por

 

 989 MuquiranasÉ um bloco tradicional, alegre e de ritmo contagiante. Pena que muitos dos seus integrantes são moleques. Continuam achando que têm o direito de brincar incomodando o público jogando água nas próprias pessoas que os aplaude e que ainda são obrigadas a ouvir repilos grosseiros da diretoria pra que, ...Respeitem as Muquiranas, porra!

Não dá pra entender. Respeito se exige quando à este se dá.
Parece até complexo de perseguição, pois o cantor Márcio Vítor disse a mesma coisa no ano passado quando as pessoas dos camarotes foram atingidas a jatos com água de origem duvidosa.

Dou o meu testemunho porque fui atingido em pleno camarote na terça-feira no Campo Grande.
Se fala do combate à violência, mas isso é o que então? a violência não se restringe apenas a agressões com socos, pontapés e afins.

Max Matos, dizendo tudo.

Quarta, 08 Março 2017 13:54

O "FORA TEMER" NO CARNAVAL DE SALVADOR

Escrito por

988 Fora TemerEu gosto de ver essa galera que não assume que errou no "acordão malandro", pra ganhar a eleição de 2010.
Se deu mal, se arrependeu, não assumiu a culpa e agora, na cara de pau, joga a culpa toda na direita como se esta estivesse adorando esse presidente fraco e perdidão, que só serviu pra ajudar a livrar o Brasil do PT.
Gritaram freneticamente, "Fora Temer", assim como gritaram incompetente e inutilmente o "Não vai ter golpe".

Max Matos, dizendo tudo.

Um desconhecido foi certeiro ao dizer:
"Temer me foi enfiado goela-abaixo e a seco. Ao contrário dos petistas, que o escolheram uma vez, gostaram, e repetiram na segunda". kkk

Quarta, 08 Março 2017 12:47

Insensibilidade humana

Escrito por

987 Jumento morto

Desde criança vejo esta triste e vergonhosa demonstração de insensibilidade humana. Vi isso muitas vezes. Não entendia porque o animal tinha que ser

chicoteado quando empacava ou mudava de direção. Acontecia as vezes, do jumento cair, o carroceiro batia nele que não conseguia se erguer. Apenas levantava o focinho, arregalava os olhos e ficava arquejando até parar de vez. Aí, era só aguardar a caçamba da prefeitura que geralmente demorava e as vezes chegava no dia seguinte, pra remover o corpo.Pensei que o progresso extinguiria coisas abomináveis como esta.

Max Matos, (envergonhado) dizendo tudo.

Segunda, 20 Fevereiro 2017 15:42

É ridículo ter saudades do Governo Militar

Escrito por
maxpresComo alguém, em sã consciência, pode ter saudades de um governo que tinha, apenas, 12 ministérios? Prova, inequívoca, que o país não era bem administrado. 
 
Como confiar em presidentes que morreram pobres? 
Isso é inadmissível!
Um homem que ocupa o cargo máximo de uma nação, sem fazer fortuna, prova que não sabe aproveitar oportunidades, nem gerir o patrimônio próprio. Um incapaz. 
 
Como ser saudoso de uma época de ditadura, onde todos os cidadãos tinham direito ao livre acesso às armas de fogo? Onde já se viu uma ditadura onde permite eleições pra governador, prefeito, vereadores e deputados? E pior, a repressão era tão violenta que, mesmo armados, os cidadãos não se matavam. Isso demonstra o medo da população contra aquele governo bárbaro. 
 
Como respeitar um regime que criou o INSS, o PIS, o PASEP, regulamentou o 13º, instituiu a correção monetária, criou o Banco Nacional da Habitação, o FUNRURAL, construiu mais de 4 milhões de moradias e abriu 13 milhões de vagas de emprego?
 
Melhor nem falar de infraestrutura. Em 21 anos, conseguiram, apenas, asfaltar 43.000Km de estradas, construir 4 portos, reformar outros 20, instalar as maiores hidrelétricas do mundo, de duplicar a produção da Petrobrás, criar a Embratel e a Telebras, implementar dois polos petroquímicos, entre outras coisinhas sem importância. 
A educação era ridícula. Pegaram o país com 100 mil estudantes secundaristas e transformaram em 1.3 milhões. Criaram o Mobral, o CESEC, a CNPQ e o programa de Merenda Escolar. 
Nestes vergonhosos anos de chumbo, onde o PIB cresceu 14%, as exportações saltaram de 1.5 para 37 bilhões, atingimos a 7ª economia economia mundial e nos tornamos o 2º maior produtor de navios do planeta. Uma catástrofe!! 
Que governo foi esse, meu Deus!
 
Realmente, durante essa página negra da história nacional, pelo visto, apenas os presídios funcionavam. Esses, sim, um exemplo. Neles entraram terroristas, assassinos, assaltantes, guerrilheiros, seqüestradores, e saíram deputados, ministros, governadores e, até, dois presidentes. Isso que é recuperação. ????
 
Ta fazendo o que?
Compartilha logo UÉ
Página 7 de 8