Quinta, 24 Agosto 2017 01:32

Procissão de Nossa Senhora da Saúde

Escrito por

Aconteceu no último domingo dia 20, quando após a missa matinal, fiéis paroquianos percorreram algumas ruas do bairro carregando o andor com as gloriosa Santa, seguindo a tradição de muitos anos.
Este sagrado cortejo já foi mais abrangente quando passava na quase totalidade das ruas do bairro, sendo reverenciado pela comunidade que colocava imagens e toalhas brancas sobre suas janelas provocando um clima de muita emoção e fé.
Mas, através dos anos, o percurso foi ficando mais curto, o que é lamentado pelos moradores, inclusive por mim. Infelizmente.

Max Matos, (também paroquiano) dizendo tudo.

Quinta, 24 Agosto 2017 01:23

Conveniências unem dois malandros da política

Escrito por

Lula e Renan. Dois desafetos que se encontraram porque estão no mesmo "barco do desespero".

https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2017/08/22/lula-e-renan-esquecem-magoas-trocam-elogios-e-se-unem-para-criticar-governo.htm

Max Matos, dizendo tudo.
⁠⁠⁠⁠
Quarta, 23 Agosto 2017 01:53

Professora leva um soco após reclamar com aluno

Escrito por

PROFESSORA AGREDIDA APÓS RECLAMAR COM ALUNO.
Isto porque no Brasil, o investimento é na corrupção e não na educação.
http://istoe.com.br/professora-e-agredida-apos-chamar-atencao-de-aluno/#.WZtx2i08h90.whatsapp                       

Sábado, 12 Agosto 2017 00:41

Ele foi especial em tudo.

Escrito por

Ninguém consegue acabar os atuais conflitos do mundo a exemplos de Ucranianos X Russos na Europa, e Israelenses X Palestinos no Oriente Médio que ceifam tantas vidas de soldados, civis, e dentre eles crianças inocentes.
Mas um dia o rei Pelé conseguiu um fato extraordinário e inédito no mundo que foi parar uma guerra. Era 1969 e o antigo Congo Belga vivia uma sangrenta guerra civil. O time do Santos fazia uma excursão pela África, e por segurança os dirigentes do clube resolveram cancelar o amistoso. A popularidade de Pelé era tanta, mesmo entre as partes em luta, que os seus líderes preferiram chegar a um acordo e interromperam o conflito durante a realização dos dois jogos até a delegação do Santos deixar o país.

Ninguém quis perder a oportunidade de ver Pelé jogar. Nesse período nem um tiro foi disparado, e inimigos se cumprimentaram. Momentaneamente, é claro. Porque logo depois, ...o "coro voltou a comer".


Max Matos, dizendo tudo.

Sexta, 11 Agosto 2017 22:26

A louca maria do Rosário ataca de novo

Escrito por

É como eu digo sempre: "O pé que dói é o pé pisado".
Cada qual seja direita ou esquerda olha apenas o seu lado. Como a tresloucada Maria do Rosário que defende bandido porque ainda não foi assaltada.
Se numa manifestação, vândalos quebram estabelecimentos, pra ela tá certo. Mas se a polícia mete a porrada, aí é abuso de força. Todos se horrorizam com a violência cada vez mais crescente no Rio de Janeiro, mas a intervenção do Exército, (porque foi proposta no governo Temer) ela acha excesso, ao ponto de cometer a insanidade de pedir a desmilitarização da polícia e das forças armadas.
Ela está propondo um desarmamento total. kkkk
E ainda diz que isso era um sonho de Che Guevara.
Como? ...Logo o Che deputada? Logo ele que abandonou a medicina pra se entregar a luta armada, viveu com armas nas mãos com o discurso utópico de uma revolução em toda America do Sul igual a de Cuba. Coisa que nem o amigo Fidel Castro companheiro de Golpe de estado (que "eles" chamam de revolução)  acreditou. Só que Fidel, já ressabiado não o apoiou e o deixou entregue à própria sorte até ele ser morto em combate nas selvas bolivianas.

Juízo nessa cabeça oca, dona Maria!
Max Matos dizendo tudo.https://www.joselitomuller.com/maria-do-rosario-propoe-desmilitarizacao-do-exercito-brasileiro/                       

Sexta, 11 Agosto 2017 22:15

Porque negar o velho ACM?

Escrito por

Pois é, reafirmo o que digo goste quem gostar: Sempre o admirei sim, e daí? Gostava dele pela sua determinação e coerência ao longo da sua história política, diferente daqueles políticos bajuladores que o cercavam mas sem nenhuma firmeza ideológica, pois bastou ele morrer e a debandada começou. Cada um procurou se abrigar na primeira porta que viu aberta.
Um homem que teve a vida política marcada pela coerência ideológica, coragem e disposição para defender os interesses da nossa Bahia.

O Brasil sente a falta de um político como ele foi. E o mais engraçado, é que, aqueles que o criticavam, hoje fazem tudo o que ele fazia, mas não conseguem o mesmo resultado porque não são criativos, e sim imitadores incompetentes.
O fato dele ter sido apoiado pelos militares não tem nada a ver. Os militares cometeram erros mas colocou o país nos eixos.
Aqueles que me criticam por isso eu respeito. Assim como outros que têm medo de reconhecer os méritos do saudoso Cabeça branca.
Entendam que apesar de ser convicto da minha ideologia, sou acima de tudo um comunicador que tem responsabilidade com o que diz e escreve e não posso fazê-lo apenas pra agradar A ou B.
Muitas vezes escrevo até o que não me agrada, mas o faço em nome da verdade.

Max Matos, dizendo tudo.

Quinta, 10 Agosto 2017 12:11

Títilo de Cidadão a João Doria ...O ovo comeu!

Escrito por

Essa esquerda brasileira não tem critério. Só sabe ser contra.
Não discuto o merecimento do Título de Cidadão de Salvador ao prefeito de São Paulo João Dória, apesar dele ter fortes ligações familiares com a Bahia.
Porém, com muito menos disso ou nada, essa mesma esquerda foi a favor do projeto de Título de Cidadão Baiano pra o ministro petista Ricardo Lewandowski.
Por outro lado, foi contra a esse mesmo Título para o então ministro do Supremo Joaquim Barbosa.
Nunca aprende a conviver com as divergências. Exige respeito a sua ideologia mas não respeita a ideologia dos outros.
Quando o sanguinário Fidel Castro aqui esteve, foi bem recebido por todos os seguimentos e não recebeu ovadas. Já a blogueira cubana Yoani Sánchez que denunciava os desmandos da ilha, foi hostilizada quando visitou o Brasil.
Pra essa esquerda insegura, não vale apenas ser contra, vale ser incoerente, vale ser baiano mal educado, e não vale apenas vaias, mas ovos também.
É por isso que não anda, não cresce. Quando teve o poder pecou e acabou perdendo. Está condenada a derrota. Não vai pra lugar nenhum. Estará pra sempre limitada as greves e manifestações sem sucesso, com vandalismos, gritinhos histéricos de Fora e as mesmas palavras de ordens criadas nos anos 50.
Ridículo.

Max Matos, dizendo tudo.

Vejam neste vídeo como funciona por exemplo, uma sessão no Congresso Nacional: O deputado é anunciado pelo presidente Rodrigo Maia que lhe autoriza a iniciar o seu pronunciamento. Ele o inicia se dirigindo ao próprio presidente como sempre acontece.
Agora observem que logo em seguida o presidente Rodrigo Maia se ausenta da mesa passando por trás dele abandonando o plenário pra resolver outra coisa sem ouvir o que o deputado falou. Ou seja, Rodrigo não dá a mínima importância ao que o colega vai falar, confia no seu assessor que lhe transmitirá tudo depois. Isto é, se ele ainda se interessar em querer saber.

Esse tipo de procedimento é comum em qualquer plenário do país. Ninguém presta atenção ao parlamentar que está usando a tribuna. A não ser quando ele cita de forma contundente ou acusa algum colega. Ah!...Aí este colega atingido se encrespa logo, fica todo nervosinho e pede um aparte pra se defender.
Mas normalmente é assim, quando há um orador na tribuna os colegas, estão sempre desatentos, estão conversando com um outro colega ou falando ao celular.
Só quem fica ligado no discurso do parlamentar são os taquígrafos e os assessores da mesa.

Infelizmente e vergonhosamente, este é o comportamento corriqueiro dos parlamentares numa sessão onde se decide coisas tão importantes para os destinos de uma cidade, de um estado ou da nação.

Veja o vídeo no final da página.

Max Matos, (que vivenciou isso de perto como assessor parlamentar) dizendo tudo.


 

Quinta, 27 Julho 2017 23:13

Minha história com Santana

Escrito por

Para felicidade de todos, após 11 anos a Paróquia de Santana está de volta inteira e altiva como sempre foi. E como alguém falou: "Uma Fênix que retornou das cinzas" dado o estado em que se encontrava.
Pra mim em especial foi como uma bênção, pois como sempre disse, ela foi a minha primeira referência de um templo religioso, quando levado por minha saudosa mãe Abigail, eu tinha apenas quatro anos de idade, mas foi o suficiente pra ficar encantado e sempre pedir a ela pra me levar de novo.

Ainda guardo na memória o imponente altar, o teto com uma pintura que eu não entendia mas que exercia em mim um forte fascínio assim como a sacristia e seu mobiliário.
Ali aprendi a fazer "o pelo sinal da santa cruz" e os ritos de uma celebração. A imagem de uma pedinte que se postava no adro da igreja conhecida como, dona Paixão, ainda está muito clara na minha retina. Era uma senhora negra já bem curvada, olhar sofrido e cabelos crespos e lindamente prateados.

Mais tarde, já com nove anos, Santana continuou na minha vida, quando junto com os coleguinhas da Escola São Vicente de Paulo, frequentávamos aos sábados à tarde a Casa de Oração e Recreação que ficava ao lado, na mesma Rua do Carro, e tínhamos que participar do catecismo para poder termos o direito de assistirmos os filmes de cowboy, de Tarzan e outros que eram exibidos para a criançada. Era uma determinação do pároco, o conhecidíssimo Padre Ayres, que tinha essa atenção às crianças, aliás, ele apenas seguia as palavras de Cristo ditas há mais de dois mil anos: "Deixai vir a mim as criancinhas", o que infelizmente não é seguida à risca pela maioria das igrejas onde a participação de crianças praticamente não existe.

Meu casamento:
Infelizmente, por falta de conciliação de datas não pude me casar na Paróquia de Santana e tivemos que realizá-lo na Catedral Basílica em 1972, o que também muito me honrou.
Por estas e outras razões é que a Paróquia de Santana sempre esteve, está e estará na minha vida.

Andava um pouco afastado das atividades religiosas, quando em 1992 fui resgatado pela Paróquia Nossa Senhora da Saúde e Glória, através do saudoso Frei Edvaldo que nos convidou para fazermos o Encontro de Casais com Cristo, não apenas a mim como a mais de uma centena de casais ao longo dos 27 anos que esteve á frente, e o seu grande poder carismático me fez permanecer lá mesmo após a sua morte e de onde não pretendo me afastar nunca, ainda que ansioso para que ela retorne ao seu prédio de origem, que padece também com uma delongada reforma que já duram seis longos anos e só mesmo Deus sabe quando será concluída. O que deixa a comunidade ansiosa por informações que nunca chegam.

Ainda sobre Santana, há cinco anos, entristecido fiz uma matéria aqui neste meu blog, lamentando a demora da reforma daquela que sempre chamei de minha igreja. Esta matéria gerou algumas dezenas de comentários de apoio, inclusive de muitos dos seus paroquianos, menos do próprio pároco, que pareceu ter entendido a minha homenagem como uma crítica. Não entendi o porque, mas não guardo ressentimentos. O interessante é que eu estou muito feliz com o retorno da nossa amada e eterna Paróquia de Santana.

Max Matos, (com muito orgulho) dizendo tudo.

Segunda, 24 Julho 2017 00:44

Santana está de volta!

Escrito por

Pra felicidade de todos, após 11 anos a Paróquia de Santana está de volta inteira e altiva como sempre foi e como alguém falou: "Uma Fênix que retornou das cinzas" dado o estado que se encontrava.
Pra mim em especial foi como uma bênção, pois como sempre disse, ela foi a minha primeira referência de um templo religioso, quando levado por minha saudosa mãe Abigail, eu tinha apenas quatro anos de idade, mas foi o suficiente pra ficar encantado e sempre pedir a ela pra me levar de novo.
Ainda guardo na memória o imponente altar, o teto com uma pintura que eu não entendia mas que exercia em mim um forte fascínio assim como a sacristia e seu mobiliário.
Ali aprendi a fazer o "pelo sinal da santa cruz" e os ritos de uma celebração. A imagem de uma pedinte que se postava no adro da igreja conhecida como, dona Paixão, ainda está muito clara na minha retina. Era uma senhora negra já bem curvada, olhar sofrido e cabelos crespos e lindamente prateados.

Mais tarde, já com nove anos, Santana continuou na minha vida, quando junto com os coleguinhas da Escola São Vicente de Paulo, frequentávamos aos sábados à tarde a Casa de Oração e Recreação que ficava ao lado, na mesma Rua do Carro, e tínhamos que participar do catecismo para poder termos o direito de assistirmos os filmes de cowboy, de Tarzan e outros que eram exibidos para a criançada. Era uma determinação do pároco, o conhecidíssimo Padre Ayres, que tinha essa atenção às crianças, aliás, ele apenas seguia as palavras de Cristo há mais de dois mil anos: "Deixai vir a mim as criancinhas", o que infelizmente não é seguida à risca pela maioria das igrejas onde a participação de crianças praticamente não existe.

Meu casamento:
Infelizmente, por falta de conciliação de datas não pude me casar na Paróquia de Santana e tivemos que realizá-lo na Catedral Basílica em 1972, o que também muito me honrou.
Por estas e outras razões é que a Paróquia de Santana sempre esteve, está e estará na minha vida.
Andava um pouco afastado das atividades religiosas, quando em 1992 fui resgatado pela Paróquia Nossa Senhora da Saúde e Glória no bairro da Saúde, através do saudoso Frei Edvaldo que nos convidou para fazermos o Encontro de Casais com Cristo, não apenas a mim como a mais de uma centena de casais ao longo dos 27 anos que esteve á frente, e o seu grande poder carismático me fez permanecer lá mesmo após a sua morte e de onde não pretendo me afastar nunca.

Há cinco anos, entristecido, fiz uma matéria aqui no blog lamentando a demora da reforma daquela que sempre chamei de minha igreja. Esta matéria gerou algumas dezenas de comentários de apoio, menos do pároco atual que pareceu ter entendido a minha homenagem como uma crítica, não entendi o porque mas não guardo ressentimentos. O interessante é que eu estou muito feliz com o retorno na nossa Paróquia de Santana.
Max Matos, (com muito orgulho) dizendo tudo.

Página 4 de 8