Terça, 24 Outubro 2017 23:50

O garoto Paul

Escrito por
Avalie este item
(0 votos)

Apesar dele ter sido meu ídolo nos anos 60, confesso que inicialmente não me atraiu ir ao seu show.
Moro aqui no Jardim Baiano e na hora do grandioso espetáculo, ouvindo o som da minha varanda que fica apenas há 100 metros da Arena Fonte Nova, bateu um doloroso arrependimento do qual jamais vou me perdoar.

O Impressionante é que o cara com 75 anos tá inteirão, com a mesma cara de menino, esbelto, muito cabelo e amado por uma geração que ainda não havia nascido quando ele já era consagrado nos Beatles e com o final da banda seguiu uma brilhante carreira solo de merecido sucesso.
Isso vem confirmar a emblemática frase do nosso eterno Belchior há muito tempo, talvez se referindo a pouca renovação de ídolos nas artes através dos tempos e de que o talento não tem idade. Disse o saudoso poeta: "Nossos ídolos ainda são os mesmos, e as aparências não enganam não.

É a pura verdade! E estão aí dezenas deles. Em nível de Brasil, temos o rei Roberto Carlos, Caetano, Gil, Chico e Milton, afora o grande número de corôas estrangeiros que continuam encantando o mundo. Todos contemporâneos de Paul, daquela época marcante, daquele tempo mágico.
Que vivas ainda muito, caro Paul McCartney!

Max Matos, dizendo tudo.

Ler 18 vezes Última modificação em Terça, 24 Outubro 2017 23:57
Mais nesta categoria: « Flagrante dos anos 50

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.