WhatsApp Image 2017 02 07 at 08.43.56Sou corretor de imóveis há 45 anos e como profissional tenho por hábito pra facilitar o meu trabalho usar banners de divulgação no local do imóvel, seja em janelas ou grades com a devida autorização do proprietário ou do síndico.
Pois é, após tantos anos desta prática tão corriqueira e que eu inocentemente pensava ser correta, vem agora a Prefeitura-Sucom e começa a removê-los arbitrariamente, mesmo estando afixados num espaço privado.

Após "perder" vários destes equipamentos, procurei a Sucom e obtive a informação de que não existe uma legislação específica para o uso de banners de divulgação de vendas ou aluguéis em locais privados, diferentemente de letreiros em estabelecimentos comerciais que carecem de uma licença.
Só que um dos prepostos do órgão quando interceptado por mim no momento em que preparava pra cometer mais um arbítrio, me disse o contrário, de que a legislação existe sim, só que os cartazes terão que ser colocados na parte de trás da grade e não na frente. Fiquei sem entender.

WhatsAp3.56Concluí então que se trata de uma tremenda incoerência da prefeitura e do seu órgão executor, desde quando no momento em que se remove uma propaganda, se bloqueia e evita que o imóvel seja negociado e consequentemente a própria prefeitura deixa de arrecadar o famigerado ITIV, que a partir de 2013 foi modificado em razão do antes chamado "valor venal" ter a sua alíquota majorada elevando a base de cálculo para o valor dos imóveis colocando-os muitas vezes bem acima do valor real de mercado o que também dificulta a negociação.

É difícil entender esta incoerência: Querem arrecadar mas se perdem na burocracia e ganância trocando os pés pelas mãos, inviabilizando uma receita para os próprios cofres públicos e fazendo cada vez mais lembrarmos do ex-governador Otávio Mangabeira, que continua vivo através dos disparates que a toda hora fazem aflorar a sua memorável frase: "Pense num absurdo, na Bahia tem precedente".
Pelo visto, não querem deixar o homem descansar em paz.
Max Matos, dizendo tudo.

Faça o seu comentário

Todos os campos * são obrigatórios

Captcha